Nós já falamos na Rio Magazine sobre diversas modelos que estão brilhando e tornando o mundo da moda cada vez mais inclusivo. Seja no mercado plus size, como as modelos Barbie Ferreira e Charli Howard, ou quebrando preconceitos, como faz a modelo Winnie Harlow, as mulheres estão provando que a moda deve ser para todas.

É por isso que a história da modelo Madeline Stuart é tão importante, ela está quebrando não só preconceitos presentes no mundo da moda, mas também na sociedade.

Imagem: Fashion News

Madeline, 21 anos, nasceu na Austrália e com poucos anos de carreira já conseguiu grandes feitos. Ela conta em uma entrevista para o site Popsugar que, quando era mais nova, jamais imaginou que poderia ser modelo e nem mesmo se interessava por moda.

Isso só mudou quando ela e sua mãe, Rosanne, foram a um desfile na sua cidade natal e Madeline se encantou pela profissão. “Eu me apaixonei. Fiquei vendo as modelos na passarela, e elas estavam se divertindo muito. Elas eram confiantes e lindas; Eu soube imediatamente que queria ter uma carreira desfilando”, contou a modelo.

Madeline desfilando

Rosanne Stuart, mãe de Madeline, foi a primeira pessoa que apoiou o sonho da filha. Ao contar para a mãe que queria ser modelo, Rosanne organizou uma sessão de fotos para Madeline, para que pudesse experimentar como é o trabalho de uma modelo. Ela adorou a experiência e ambas decidiram postar as fotos online.

Em pouco tempo, as fotos viralizaram e chegaram a 7 milhões de visualizações. Com isso, várias marcas entraram em contado com Madeline querendo que ela fizesse parte de desfiles e ensaios fotográficos. A partir desse momento, ela abraçou a carreira de modelo e passou a viajar o mundo trabalhando.

Madeline posando para Vogue

Sua mãe trabalha como empresária e também dá entrevistas falando sobre a carreira de Madeline, já que a jovem tem dificuldade de articular as palavras. Ela conta que viajar e conhecer pessoas novas ajudou a filha a se tornar mais confiante, e que ela garante que a Madeline seja tratada com o mesmo respeito que todas as outras modelos durante seus trabalhos.

Em 2015, Madeline se tornou a primeira modelo com síndrome de Down a desfilar na New York Fashion Week, algo que faz até hoje, participando de desfiles a cada nova temporada. “Eu mudei a forma como a indústria da moda vê a diversidade. Eu tenho muito orgulho disso e estou muito feliz que outras meninas podem seguir os seus sonhos”, disse à Teen Vogue.

Quanto aos seus planos para o futuro, Madeline quer continuar vendo mais diversidade na moda e já contou que seu grande sonho é desfilar para a Victoria’s Secret. Ainda existem pessoas que duvidem de sua capacidade, mas ela está determinada a provar que elas estão erradas.

Não houve um segundo em que achei que não conseguiria fazer isso. Eu amo ser modelo e isso faz com que eu trabalhe duro para superar qualquer obstáculo que encontro”, declara Madeline.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu Nome