Com quase 30 anos, se engana quem acha que Karlla está aposentando sua carreira de modelo, muito pelo contrário, ela conta à Rio Magazine que nunca trabalhou tão bem quando agora!

No auge da carreira, Karlla também aproveita o olhar mais maduro para pensar no que vem depois, na busca de seus hobbies e sonhos, é hora de investir em novas oportunidades!

Karlla Agne

Mas como foi o início da carreira de Karlla?

Para a capixaba, ser “achada” no shopping é o clichê mais conhecido quando se fala de início de carreira de modelo.

Outro clichê é o famoso bullying sofrido pelas jovens modelos na infância e adolescência, devido as longas pernas e corpos magérrimos – que modelo fashion nunca passou por isso?

Com uma personalidade diferente da média, Karlla nunca sonhou em ser modelo. Quando criança, ela gostava mesmo era de jogar futebol e brincar na rua, deixando o lado “feminino” mais de lado (sem machismos! sabemos que meninas podem e devem jogar futebol!)

De tanto ser “zoada” pelo seu corpo, quando soube de seu potencial como modelo, aos 14 anos, ela se jogou na oportunidade sem pensar duas vezes. Afinal, era a chance de ela provar para ela mesma e para todos os outros como ela poderia ir longe.

Foram aulas de passarela, pose, expressão e tudo o que é necessário para uma modelo iniciar sua carreira. Já aos 15 anos ofereceram a Karlla uma oportunidade na China, mas sua mãe a segurou em casa e a fez terminar os estudos primeiro.

Karlla Agne

No auge da adolescência Karlla sofreu um acidente que deixou várias cicatrizes em seu corpo. Naquela época, sua agência a disse que sua carreira estava acabada. 

Como ser modelo não era seu grande sonho, Karlla deixou isso de lado. Vida que segue.

Aos 18 anos, novamente, em uma loja do shopping onde trabalhava, um Scouter a convidou para um concurso de modelo que a levaria à São Paulo. Ela ainda perguntou se suas cicatrizes seriam um problema.

A resposta é uma lista de países em que a modelo trabalharia pelos próximos 10 anos (meninas, amem suas cicatrizes e não deixem que elas sejam uma barreira em sua vida!)

Karlla foi a modelo destaque do concurso

Em alguns meses já estava voando para Miami, nos Estados Unidos, sem falar nada de inglês, sem computador, sem meios de comunicação com sua família.

Karlla Agne

Aos trancos e barrancos, vivendo em apartamentos com outras modelos em ambientes extremamente competitivos, Karlla foi marcando seu nome de país em país, até escolher a Alemanha como sua casa.

Estados Unidos, Líbano, Grécia, Turquia, Dubai, India, China, Tailândia, Malásia, África do Sul, Itália e Alemanha.

“Eu morava na Mala”

A modelo montava a base no Brasil, mas passava a maior parte do ano viajando e trabalhando em diversas cidades diferentes.

Qual foi o país mais desafiador em termos de cultura e trabalho?

Para Karlla, não há melhor nem pior, todo país trouxe desafios, de diferentes tipos e dimensões. O ponto forte da modelo sempre foi seu poder de adaptar-se rapidamente. 

Extremamente flexível, não importava se durante 3 meses sua casa seria em uma cidade muito pobre na India, ou se ela teria que lidar com a personalidade ríspida de alguns chineses, Karlla tem uma almejada habilidade de focar no trabalho e não se deixar levar por choques culturais. Talvez esteja aí uma das grandes razões que a levaram tão longe!

Independente de onde a modelo estava, ela focava no presente e vivia aquele momento com uma inteligência mental admirável.

Karlla Agne

Qual o maior benefício de uma carreira internacional?

Poder viajar, ver culturas diferentes, vivenciar como outras pessoas vivem, o que é certo e errado para outras comunidades – isso é uma experiência única, que não tem preço. Para Karlla, não importava o quanto ela estava embolsando em sua conta bancária, mas sim as oportunidades de viver coisas novas todos os dias.

Se arrepende de alguma coisa?

Olhando para trás, a modelo se arrepende de não ter sido tão “ambiciosa” e lutado mais por seu nome no mercado. Devido a sua personalidade mais voltada para o presente, ela viveu muito o momento, mas acredita que poderia ter se esforçado mais e ido mais longe.

Para uma modelo, é extremamente importante trabalhar com marcas de porte, isso abre muitas portas, mas para chegar a esses trabalhos, a competição é alta, e modelos do mundo inteiro dão o sangue para conseguir esses trabalhos.

Karlla conta que se tivesse que mudar algo, teria lutado mais pelos trabalhos e feito mais fotos, afinal, o portfólio de fotos da modelo é o currículo da modelo.

Karlla Agne

Por que Alemanha?

Cansada do vai e vem entre um país e outro, já era hora de achar um lugar para chamar de lar. 

Há 5 anos trabalhando na Alemanha, Karlla conta que se apaixonou pelo país. 

A infraestrutura das cidades (estações de metrô e trens super desenvolvidos), a qualidade dos serviços (tudo funciona!), as estações bem definidas (verão, outono, inverno, primavera).

Para Karlla, ver a natureza ficar seca no inverno, e na próxima estação, tudo nascer de novo, é incrível!

Quem mora no Brasil sabe que as estações não são bem divididas, na maior parte do ano faz calor, muito calor.

Karlla Agne

E os hobbies?

“Ainda estou me descobrindo” 

A modelo iniciou a prática de meditação e Ioga, mas continua na busca de suas paixões fora do mundo da moda.

Entre seus sonhos a serem realizados, ela cita: “escrever um livro, dar palestras, desenvolver algo no segmento de saúde/bem estar, aromaterapias e afins”.

Ela acredita que para o povo alemão, as memórias da guerra ainda são muito recentes, e o tema bem-estar é uma busca muito importante para eles.

Descubram mais sobre a Karlla no canal do youtube dela!

Karlla Agne

2 COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu Nome