No dia 21 de julho, mais de 25.000 pessoas compareceram ao Prospect Park, o segundo maior parque do Brooklyn, em Nova York, por um motivo especial. Lá aconteceu a quinta edição do CurlFest, festival que celebra a beleza dos cabelos naturais.

View this post on Instagram

Afro & negro nose 😍

A post shared by Ebonee Davis (@eboneedavis) on

Tudo começou em 2010, com 5 mulheres que estavam passando pelo processo de transição capilar e decidiram criar um grupo online para ajudar umas às outras e trocar informações. Na época, elas tinham muita dificuldade de encontrar produtos específicos para os seus tipos de cabelos e queriam se ver representadas no mundo dos produtos de beleza.

Foi assim que as amigas lançaram, em 2014, o “Curly Girl Collective”, um grupo de marketing que busca a mudança nos padrões de beleza e trazer representatividade para as mulheres negras.

De acordo com o coletivo, o CurlFest é o maior e único festival do mundo sobre beleza natural, onde mulheres com cabelo crespo e cacheado são celebradas. O festival, organizado por elas, já ocorre há 5 anos e oferece música, comida, jogos, palestras e até mesmo lojas de produtos para o cabelo.

“O festival é sobre tudo, é uma festa, uma loja, uma celebração da beleza e tem uma energia que você não encontra em outros lugares. Não podemos descrever só como uma festa ou um piquenique, é uma experiência que você precisa participar para descobrir como é. É isso que o torna tão especial, é diferente de qualquer outra coisa”, disse Tracey Coleman, uma das fundadoras, para o programa de rádio Breakfast Club.

View this post on Instagram

Turned all my L's into Lessons. 🤞🏾#curlfest

A post shared by Ebonee Davis (@eboneedavis) on

A modelo e ativista, Ebonee Davis, compareceu ao evento esse ano e participou de uma das palestras do festival. Ela é conhecida por lutar contra o racismo dentro e fora da indústria da moda, e procura inspirar jovens negras a se aceitarem e se amarem como são, apesar de todos os preconceitos presentes na sociedade.

Marcas de produtos de beleza têm estandes no festival, para que as pessoas possam tirar dúvidas sobre produtos e também para que as próprias marcas descubram quais são as necessidades desse público. Isso para o coletivo é uma grande vitória, já que há poucos anos elas precisavam procurar a fundo produtos adequados. O festival faz sucesso também entre famílias, que levam os filhos para que eles vejam pessoas que, assim como eles, não precisam mudar os cabelos naturais.

View this post on Instagram

Curlfest recap❤️✨ I enjoyed my self so much. What really made me happy at the festival was all of the complements I got on my hair. Last year, my hair literally looked like crap. I was trying to recover from bleaching & straightening my hair. I never permed it or anything like that so i’ve been natural my whole life. The only thing that I didn’t know was that my hair can look like what it is today. There were times when I completely doubled myself & I told myself that my curls will never come back. Those complements I received at curlfest told me that i’m definitely doing something right. It’s only been a little over one year and i’m completely happy with my lil fro that I got going on. It’s only going to get better over the years. 🙆🏾‍♀️🌹(btw my friends were responsible for starting the dancing by the stage) #curlfest2018 Thank you @kmaclifestyles & @okitsla for these amazing photos🙏🏾

A post shared by Ashley Masse (@ashley_masse) on

“É preciso coragem. Uma mulher que vem ao CurlFest precisa de um tipo de coragem só para estar nesse lugar. Você precisa de coragem para começar essa jornada”, disse Tracey Coleman sobre as mulheres que vão ao festival após ou durante o processo de transição capilar.

Uma participante relata no Instagram: “Eu me diverti muito. O que me deixou muito feliz foram todos os elogios que eu recebi sobre o meu cabelo. Ano passado ele estava horrível. Estava tentando recuperá-lo do alisamento e da tintura. Durante toda a minha vida, nunca deixei ele natural assim. Os elogios que recebi dizem que estou fazendo algo certo. Estou muito feliz com meu pequeno afro”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here