Percorrendo o Instagram da modelo Ana Barbosa, é impossível não se apaixonar pelas fotos e perceber o trabalho profissional que a brasileira está fazendo em Guangzhou, na China!

Ana é natural de Minas gerais, tem 19 anos e está há quase 9 meses trabalhando na China como modelo.

A Rio Magazine convidou a brasileira para uma entrevista especial, com o objetivo de inspirar os jovens brasileiros que sonham com o mesmo caminho. Especialmente aquele público que não acredita no mercado da moda para negros, eis aqui um grande exemplo de quebra de barreiras!

Ana Barbosa. De Minas Gerais para Guangzhou, China.

Vamos lá?

Rio Magazine: Nos conte um pouquinho sobre você!

Ana: Nasci na cidade de Uberaba, Minas Gerais. Sou ariana, nasci no dia 30 de março (19 anos). Fui obrigada a amadurecer bem rápido aos 15 anos, quando sofri a perda dos meus pais.
Desde então, meu foco tem sido dar uma vida boa e segura para minha vó materna e meu irmão (11 anos, atualmente).
Antes de me tornar modelo, trabalhei como jovem aprendiz, no setor de recursos humanos, em uma filial Lojas Cem. Fiz alguns pequenos cursos voltados para computação, administração, aulas de passarela e desenvoltura corporal . Participei de algumas excursões para conhecer o Projac (estúdio da Rede Globo) e realizar desfiles de treinamento.
Eu gosto de manter uma vida ativa. Desde criança eu chorava para ganhar livros e quando isso acontecia, eu passava um bom tempo na cama apreciando as histórias. Hoje em dia, meu hobby é fazer ligações para o Brasil rsrs.
Meus amigos dizem que sou uma pessoa muito brincalhona, com sorriso que tira a tristeza do ambiente, uma garota confiável, sincera, forte mentalmente, super humilde, parceira, psicóloga, carinhosa, mas que às vezes uma coisinha do signo bate e perco a paciência! Dito isso, quem sou eu para discordar né?!
Ana Barbosa – modelo internacional atualmente em Guangzhou

Rio Model: Como você iniciou sua carreira como modelo?

Ana: Muita gente falava para minha mãe que eu tinha que ser jogadora de vôlei, basquete ou modelo, devido a minha altura e beleza.
Tentei jogar, falhei, um desastre para o time.
Continuei estudando.
Existe uma loja de roupas na minha cidade chamada Linamarina, que realiza um concurso anual, para elegerem “A GAROTA ano dois mil e tal”.
Resolvi participar e os participantes tinham que ir até a agência para obter as regrinhas, fui.
Amaram meu perfil e me disseram que independente do resultado eu deveria voltar lá e conhecer melhor o trabalho deles. Não passei nem da primeira fase do concurso rsrsrs, primeiro desfile da vida!
Fiquei curiosa em saber sobre a AGÊNCIA W ASSIS MODELS. Voltei depois de um tempo e comecei a fazer aulas de passarela com eles, logo começaram os eventos e viagens para colocar tudo em prática.
Diversidade. Ana Barbosa para EMMA Creation.

Foi assim que eu comecei a gostar da profissão, mas eu tinha uma visão de que seria impossível.

Ana: Quando concluí o ensino médio eu decidi me mudar para São Paulo por 1 ano para alavancar a carreira de modelo, caso não resultasse em nada, seguiria para faculdade de Administração.
Não é fácil se manter lá, caso não tenha trabalho. Por isso já aconselho fazer uma reserva financeira antes de ir.
O que eu fiz? imprimi algumas fotos minhas e fui fazer um teste na agência Oxygen Models. Com as graças de Deus o resultado foi positivo e o processo de oportunidades excelentes com concorrências fortes começou.
O meu foco era participar dos eventos SPFW e Casa de Criadores, na minha cabeça se eu conseguisse apenas 1 desfile de cada, estaria super hiper realizada!
E com muito apoio moral das agências, de Uberaba e São Paulo, essa meta foi alcançada e até ultrapassada!
Fiz outros trabalhos por Sampa também, para obter um material fotográfico que realmente me vendesse para o mercado internacional.
Ana Barbosa – modelo fashion internacional em desfile

Rio magazine: Como você foi parar na China?

Ana: Através de castings (testes) que eu realizava na agência de São Paulo e também através do material que eu obtive em uns 5 meses.
Meu Booker internacional pôde me trabalhar virtualmente, na linguagem dos modelos isso se chama “Direct booking”.
Em menos de 1 ano, recebi a notícia da aprovação do contrato de 4 meses em Shangai/China.
Ana Barbosa, modelo brasileira trabalhando atualmente na China

Rio magazine: O que você acha do mercado da moda na China?

Ana: Não posso dizer que aqui é o lugar mãe da moda, porém inúmeras marcas sabem reproduzir um trabalho com muita criatividade, tanto que acabam esquecendo do tempo e até do estado fisico do modelo.
Aqui tem lugar para todos os perfis, existe algumas preferências para as russas, porque elas moram no país do lado, consequentemente fica mais ágil trazê-las. Mas mesmo assim, aqui se encontra TODO tipo de modelo.

A China é a faculdade da indústria e do ser pessoal.

Ana Barbosa, modelo brasileira trabalhando atualmente na China

Rio Magazine: Quais os desafios de uma modelo negra em um mercado tão focado em modelos caucasianas?  Sabemos que as coisas estão mudando e novas portas estão se abrindo! O que você tem a dizer sobre isso?

Ana: Saí do Brasil com fofoquinhas no pé do ouvido de que eu estaria indo para o pior mercado para modelos negros.
Eu simplesmente, paguei pra ver. E podemos notar que aqui eu venho desenvolvendo MUITO, fazer 7 poses em 10 segundos ou menos não é pouco ensinamento.
Ana: O mercado para nós é apenas mais objetivo, se o cliente idealizou uma campanha com modelo negra, você está garantida.
Se não, ok, você não poderá ficar pilhada procurando problemas em você.
Atualmente eu estou em Guangzhou,  e aqui, por muito tempo ainda tinham a mente mais fechada, achando que só as loirinhas ou moreninhas de pele clara venderiam o seu devido produto.
Mas alguns chineses estudam o boom da Europa com modelos negras e foram criando atitudes de arriscar.
Tanto que eu sou a primeira negra contratada pela agência daqui, estou amando a experiência, não fico muito tempo parada, trabalhos bem movimentados e loucos.

 Conclusão, o tal do não todos já tem, basta lutar pelo sim!

Rio Magazine: Quais seus objetivos como modelo? Você se vê morando na Asia nos próximos anos ou pretende voltar para o Brasil?

Ana: Meu objetivo é desbravar o mundo, aprender a me comunicar em mais línguas, trabalhar com diversas culturas.
Com isso ainda tenho uma vontade de abrir uma agência de modelos e loja de roupas.
Me vejo morando no Brasil depois de alguns anos, voei com a finalidade buscar frutos cultivadores, aqui tudo é muito mais evoluído, mas meu coração está no meu berço!

Rio Magazine: Nos conte alguma situação bizarra / interessante que você já passou aí na China!

Ana: Eita! Todo dia acontece algo diferente rsrs.
A situação vencedora é que os chineses tem mania de cuspir e escarrar no chão de qualquer lugar, uma amiga já até encontrou em uma pia, na estação de metrô.
Mas o dia épico para mim foi quando acabei um casting e minha Booker foi chamar um Uber para mim. 5 minutos depois ela me envia um print mostrando que havia 40 pessoas na nossa frente, demoraria mais de 50 minutos.
Começou a chover bem forte e as ruas parecem que não foram projetadas corretamente, ou seja, enchente na certa!
Tempo vai, tempo vem, 1 hora e meia tinha passado e eu estava ainda esperando dentro da garagem do local do casting, minha bateria caiu para 10 % e então finalmente um carro ficou disponível, mas com um porém que eu deveria ir até uma avenida porque o carro dele não poderia passar pelas poças.
Eu fiquei indignada com isso, ainda mais pela  bateria me deixar na mão, depois de muita discussão no tradutor com esse chinês, vi que não teria outra opção, ou enfrentava aquela água imunda, ou dormiria por lá.
Saí andando, chutando, gritando, chorando, rindo, imaginando bichos e rezando para não pegar nenhuma doença!
A localização dele estava um pouco confusa, junto com o transtorno na cidade, assim que eu encontrei a rua e o carro correto, olhei para meu celular e recebi um bye bye, 0 %!
Foi uma experiencia engraçada porque nunca tinha passado por uma enchente e me mostrou mais uma forma de conviver com chineses.
Por hoje a entrevista acaba por aqui!
Muito obrigada Ana pela participação! Nós aqui adoramos histórias inspiradoras!
Fiquem ligados na RioMag e saiba tudo o que rola no mundo fashion!

1 COMENTÁRIO

  1. Acompanho a Ana pelo insta e ela é uma inspiração!!!
    Uma modelo incrível!
    Ótima entrevista 👏👏👏👏

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu Nome