Não existe nada mais chato do que esquecer um compromisso ou algo importante por causa de desorganização. Isso é muito comum, já que temos um cotidiano corrido e acabamos anotando a maioria dos nossos afazeres no celular ou em post-its que se perdem no meio de outros papéis.

Pensando nisso, o designer Ryder Carroll inventou um método de organização divertido e simples chamado de Bullet Journal. Veja no DIY a seguir como fazer a própria agenda e organizar suas tarefas.

1. Caderno

A primeira coisa que você precisa fazer é escolher um caderno, que pode ser do tipo que você preferir. Os mais usados são os quadriculados, os pontilhados (ideais para fazer um Bullet Journal) e os sem pauta, para quem gosta de desenhar e ser criativo.

2. Tarefas

Exemplo de página para anotações mensais

O objetivo do Bullet Journal é criar um sistema de organização a partir do zero, mas para isso você vai precisar de algumas seções principais para se guiar. O criador sugere criar 5 partes principais:

Índice – onde você irá anotar em que página cada conteúdo pode ser encontrado.

Legendas – aqui você irá anotar o que cada símbolo usado no método Bullet Journal significa.

Anotações futuras – usada para anotar tarefas e eventos que acontecerão nos próximos meses.

Exemplo do autor de índice e anotações futuras

Anotações mensais – usada para dar uma visão geral dos seus afazeres durante um mês especifico.

Anotações diárias – usada para anotar afazeres e ideias durante o dia.


Exemplo do autor de anotações mensais e anotações diárias

3. Legendas

Imagem: Bruna Guimarães

Você deve estar se perguntado o que torna o método do Bullet Journal tão diferente de uma agenda comum. Este método não ficou famoso apenas pela liberdade na hora de fazer anotações, mas também pelos símbolos que ajudam muito na hora de organizar tarefas diárias.

Símbolos:

significa uma anotação simples

o significa um compromisso

• significa uma tarefa

X significa tarefa completada

> significa tarefa adiada

< significa um compromisso que você marcou para outra data

Este risco significa uma tarefa cancelada.

Lembre-se isso é apenas uma sugestão do autor e você pode dar significados diferentes para cada símbolo ou até mesmo criar os seus próprios.

4. Coleções

Exemplo de coleção: “coisas que deveria fazer mais vezes”

Aqui também entra outro grande diferencial do Bullet Journal. Ao invés de ignorar coisas que podem parecer aleatórias para nosso dia a dia, nesse método você pode anotar tudo que quiser.

Essas seções são chamadas de coleções pelo autor, e você pode criar uma sempre que sentir necessidade. Seja uma lista do que você precisa comprar no mercado, os filmes que você deseja assistir durante o ano ou uma lista de gastos do mês, tudo é bem-vindo.

5. Customização

Imagem: @jannplansthings

O que fez do Bullet Journal um sucesso entre todas as pessoas que amam usar a criatividade é a possibilidade infinita de customizar o caderno. Isso não é um requisito, afinal, o próprio criador já disse que seu Bullet Journal é o mais minimalista possível.

Mas deixar o caderno com a sua identidade, usando cores, canetas, marcadores, tintas e colagens, só vai dar um incentivo a mais para utilizar este método e nunca mais esquecer de algum compromisso importante.   

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu Nome