Modelo cria movimento para incluir mulheres plus size no Victoria’s Secret Fashion Show

0
90

O Victoria’s Secret Fashion Show é um dos eventos do mundo da moda mais assistido e celebrado ao redor do mundo. Isso porque todos os anos a grife deslumbra a todos com as modelos lindas, chamadas de “angels”, a participação das celebridades e cantores mais populares do momento, além de uma produção impecável nos figurinos e cenários.

Porém, o mundo da moda está mudando. Hoje, nós sabemos que as modelos da grife representam um ideal de beleza muito restrito da sociedade, onde todas são altas, magras e, na maioria, não mostram muita representatividade étnica.

A grife, apesar de parecer estar procurando colocar mais diversidade na passarela, por exemplo com a adição da modelo Winnie Harlow no desfile deste ano, não dá sinais de que as modelos curvy ou plus size serão incluídas pela marca.

Winnie Harlow desfilando para a marca pela primeira vez

Sendo assim, algumas modelos decidiram se pronunciar sobre isso. Robyn Lawley, modelo plus size, fez um texto em seu Instagram dizendo que criou uma petição para que a Victoria’s Secret passe a incluir modelos com diversos tipos de corpos e tamanhos no seu desfile anual. Na imagem, ela aparece segurando a filha no colo e com a hashtag “Somos Todas Angels”.

“A Victoria’s Secret dominou o espaço por mais de 30 anos, dizendo às mulheres que só há um tipo de corpo bonito. Até que a Victoria’s Secret se comprometa a representar TODAS as mulheres no palco, eu vou incitar um boicote completo do Victoria’s Secret Fashion Show deste ano”, disse a modelo.

Imagem: @robynlawley

Robyn é conhecida por fazer parte do movimento que pede mais representatividade para mulheres fora do padrão dentro da indústria da moda. Ela foi a primeira modelo plus size a aparecer em uma edição da Swimsuit Issue da revista Sports Illustrated’s, em 2015, além disso ela já participou de diversas campanhas e editoriais para revistas.

Como ativista do movimento body positive, Robyn também fala abertamente sobre ter lúpus e SAF (Síndrome do anticorpo antifosfolipídeo), doenças que afetam o sistema imunológico do corpo. Ela tem uma cicatriz na testa, por conta de uma queda que sofreu durante uma crise convulsiva.

“Eu sempre aceitei minhas estrias e marcas no meu estômago, quadril e corpo e sinto que, por que eu deveria me livrar delas? A quem isso vai agradar?”, contou a modelo.

View this post on Instagram

Hey there…..wild thing

A post shared by Robyn Lawley (@robynlawley) on

Não é novidade que algumas marcas de lingerie não incluem mulheres plus size por preconceito, supondo que elas não são “sexy” o suficiente e não ajudariam a vender as peças, o que está longe de ser verdade. Marcas como a Savage X Fenty e muitas outras já provaram isso em 2018.

O movimento que Robyn começou no Instagram pretende mostrar que essas mulheres querem ser representadas e não estão de acordo com a forma que o mercado funciona.

Além do abaixo-assinado, que você também pode assinar neste link, ela pediu para que seus seguidores postassem fotos com a hashtag #WeAreAllAngels mostrando a beleza única de cada um. Como Robyn defende: “É hora da Victoria’s Secret reconhecer o poder de compra das mulheres de todas as idades, tamanhos e etnias”.

Imagem: @simplybeuk

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here